Garis do DF resistem e fecham CCT favorável

Foram 88 dias de muita resistência dos garis do Distrito Federal para impedir que a nefasta reforma trabalhista fosse implementada em sua Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Os embates encerraram-se na quarta-feira (28/3) quando a categoria arrancou dos patrões uma proposta que atendeu a coletividade.

Entre as principais conquistas, estão o reajuste de mais de 8% no tíquete-alimentação, o aumento de R$ 2 para R$ 10 na taxa paga para cada trabalhador a título de auxílio odontológico, além da implantação imediata do Plano de Saúde.

“Agora, nossa dor de cabeça é só a licitação. Antes também era a data-base e a ameaça de ver a CCT rasgada e o trabalhador perdendo direitos”, comenta José Cláudio, presidente do Sindlurb DF – entidade que representa os trabalhadores.

Durante esse período, a categoria esteve em um impasse. Com a CCT aberta desde 1º de janeiro, apesar de ainda estar em uso, os direitos podiam ser retirados a qualquer momento.

“O sindicato patronal tentou mexer em toda a convenção, tentou colocar uma taxa em cima dos vales transportes, que já havíamos retirado há anos. Todos os nossos direitos estavam ameaçados”, pontua José Cláudio

Entenda as conquistas

Assistência Odontológica

Antes: Os atendimentos de todos os procedimentos eram realizados no Setor Comercial Sul, próximo ao Conic, sem nenhum custo ao trabalhador.

Agora: Os atendimentos continuarão sem custos e será gerenciado pelo Sindlurb que se empenhará em melhorar o serviço, levando-o para várias regiões administrativas.

Plano de Saúde

Antes: Apenas os trabalhadores do Lote 2 usufruíam do beneficio. No entanto, a CCT estabelece que, em outubro de 2017, o plano deveria ter sido expandido a todos os garis.

Agora: O Sindlurb e a corretora de saúde que presta o serviço para os garis já estão trabalhando para a inclusão, o mais rápido possível, de todos os trabalhadores e trabalhadoras da limpeza urbana.

Convenção Coletiva

Antes: Com a CCT aberta, os trabalhadores poderiam perder direitos a partir de uma licitação e, inclusive, em situações extremas, sofrer com a diminuição do piso salarial, 13º salário e outros benefícios.

Agora: Os trabalhadores asseguraram todos os seus direitos e a licitação que vier deve ter como base a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). O Sindlurb já oficiou o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) sobre esta situação.

Fonte: Sindlurb

Anúncios

Deixe um comentário ou enviei um e-mail para: auldf13@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s