Boletim 49 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia

1 – O vereador paulistano Eduardo Suplicy (PT) entregou hoje ao ex-presidente Lula três mil cartas que recebeu em seu gabinete, provenientes de todo o País. De manhã, quando esteve nas instalações da Polícia Federal onde Lula está detido como preso político, ele não conseguiu entregar o material. Suplicy seguiu então para 12º Vara de Execuções Penais para se encontrar com a juíza Carolina Lebbos, que reiteradamente tem negado visitas a Lula, inclusive de seu médico. A juíza delegou a decisão à PF e Suplicy conseguiu entregar as cartas, por intermédio dos filhos de Lula.

2- Na parte da tarde, o vereador Suplicy foi visitar o acampamento Marisa Letícia e, acompanhado do deputado federal Leonardo Monteiro (PT-MG), concedeu entrevista à imprensa e participou de um ato na Vigília #LulaLivre, onde leu algumas das cartas que levou para Lula.

3- Jovens do MST pintaram hoje uma faixa para homenagear dona Marisa Leticia, esposa do ex-presidente Lula falecida há pouco mais de um ano, e deram o nome dela a um dos acampamentos. A atividade ocorreu ao longo desta quinta-feira. Oito faixas já foram pintadas pelo pessoal do MST desde o início do acampamento e serviram para nomear os acampamentos e barracas da Vigília. A próxima faixa terá uma frase de Rosa Luxemburgo, em espanhol: “Por un mundo donde seamos socialmente iguales, humanamente diferentes e totalmente livres”.

4- Na sexta-feira (27), será realizado, a partir das 18h30, o ato “Luzes para Lula”, quando serão acendidas velas e feitas orações em apoio a #LulaLivre. Na tarde de hoje, um grupo de mulheres costurou uma manta que será entregue ao ex-presidente.

5- As sete maiores centrais sindicais do Brasil já confirmaram o ato unificado em Curitiba (PR) no 1º de Maio. Essa é a primeira vez que as centrais se unem em ato e pautas comuns. O feito já é considerado histórico pelos dirigentes das centrais que definiram como pautas centrais #LulaLivre e o combate às reformas trabalhista e daPrevidência. O ato no Dia dos Trabalhadores será às 14h, na praça Santos Andrade, em Curitiba. Mas antes, todos darão o tradicional “Bom dia” ao ex-presidente Lula. Sindicalistas de outros países virão para o evento.

6- Em Brasília, a 1400 km de Curitiba, um episódio marcou o Estado de exceção em que o País está mergulhado. No Palácio do Planalto, seguranças proibiram o ingresso de ativistas de movimentos sociais que usavam a camiseta #LulaLivre em defesa da libertação do ex-presidente Lula e em protesto à sua condenação sem provas. Até um indígena usando cocar foi barrado. Os ativistas iam participar 20ª Plenária da Comissão Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica, que acabou não ocorrendo. Os seguranças do Palácio do Planalto adotaram um protocolo de regime de exceção, sem nenhuma justificativa. A procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, pediu esclarecimentos à Casa Civil da Presidência da República sobre o episódio.

Boletim 49 – Comitê Popular em Defesa da Democracia e de Lula
Curitiba, 26 de abril de 2018

Anúncios

Deixe um comentário ou enviei um e-mail para: auldf13@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s